quinta-feira, 7 de julho de 2011

O Parangonas evoluiu.

Para aqui. E este é o meu novo espaço definitivo. Porquê? Porque não tenho tempo para três blogues e porque decidi dedicar-me aquilo que é a minha paixão (e profissão, felizmente): o design gráfico, a direcção de arte e a comunicação visual.

O Estranho amor continua, obviamente, e penso começar a voltar lá mais regularmente do que tenho feito. Um dia até conto reescrever os textos mais antigos para uma prosa menos rudimentar – (o português é outra das minhas paixões, mas tardia).

domingo, 19 de junho de 2011

De férias.

Até à próxima semana.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Resolução de problemas,

ou um dos capítulos certos do Tratado do Entendimento Humano, caso venha a existir algum dia.

Cada profissão desempenha um papel na sociedade que pode, por vezes, ultrapassar a área onde se aplica. É comum ver praticantes de várias disciplinas defender a inevitabilidade do seu ofício para o resultado da civilização: os advogados julgam que todos os problemas podem ser resolvidos através do direito, os engenheiros apregoam soluções técnicas para as mais diversas disfunções, os economistas vivem com a certeza que tudo se pode solucionar com uma folha de Excel e muitos mais exemplos poderiam aqui caber.

Quanto a mim, sou designer gráfico e tenho como função comunicar mensagens visuais. Desde cartazes políticos a folhetos para agências de viagens, passando por capas e paginações de livros do Bioy Casares, tenho para comigo que não há profissão mais importante que a minha. Esta certeza é sustentada por um evento que é tido universalmente como o mais importante da história da humanidade: a invenção da escrita. Esta criação é tão relevante que se tornou, de forma consensual e absoluta, no marco académico que divide a pré-história da história.

Se os filósofos e os geógrafos quiserem continuar a digladiar-se pelos lugares secundários, estão à vontade. O que sei é que se não fossem outros como eu eles não tinham nada que os separasse dos primatas. Posto isto, fica à vossa atenção a importância que o desenho gráfico (ou design gráfico para acompanhar os tempos) terá por aqui.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Clássico


ksubi kolors from ksubi on Vimeo.

Próximos Passos.

Hoje é um dia melhor porque se definiram mais coisas para Portugal. Depois dos últimos meses descobri que existem demasiadas opiniões para um país tão pequeno. Vi soluções para tudo nos comentadores, bloggers e jornalistas - nem percebo como é que estamos nesta situação com tanta gente genial. Pareciam taxistas a falar do Sporting, mas bem vestidos.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Falemos em cortes no orçamento.

Bob Kramer é um senhor que faz facas que costumam custar para cima de vinte mil euros.

Se a palavra excelência vos diz alguma coisa, percam algum do vosso tempo a aprender, por exemplo, a afiar uma das vergonhas que têm em casa.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

O dinheiro dos outros.

Herdar fortuna é uma maldição porque retira qualquer esperança de mérito a quem a recebe.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Com o Sandman contra o Sadman.

Depois de tantos descalabros, há que olhar em frente e perceber que: daqui só para cima. Posto isto, e complementando outros compatriotas que andam lá fora a esgrimir pelos euros, o Parangonas será sempre partidário do conceito da Luso ascendência.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Dou comigo a fazer ou pensar coisas.




Como por exemplo a ler uns poemas da Sophia de Mello Breyner com esta música nos auscultadores.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Estudo gráfico.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Falta de juízo final.

Segundo algumas pessoas, o mundo começou a acabar no passado Sábado, dia 21. Nesta data começou o Juízo Final e os justos já foram arrebatados para o céu.

Não conheço ninguém a quem isto tenha acontecido o que me leva a questionar as minhas companhias desde sempre.

Se fosse hoje não tinha esta barriga.























Baptista Pereira

Nasceu em Alhandra em 1921 e foi o maior nadador português. Treinava no Tejo em distâncias como Lisboa – Vila Franca de Xira ou Barreiro – Alhandra. Fora do Tejo treinava entre Peniche e as Berlengas.

Uma ideia do ribatejano:

-1953, vencedor e recordista do mundo da travessia do Estreito de Gibraltar
-1954, vencedor e recordista do mundo da travessia do Canal da Mancha

Se fosse hoje talvez tivesse ganho algum dinheiro mas não teria o mesmo sal. Eu gosto de pessoas que fazem as coisas porque gostam.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Design gráfico.



























Daqui

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Lars, doce Lars.


















Lars Von Trier disse ontem numa conferência de imprensa no festival de cinema de Cannes que compreendia Hitler e que até simpatizava com os Nazis.

Se o fez porque é a sua opinião é parvo, se o fez como provocação ainda é mais.

Atascado - Impressões de um jantar com grandes amigos.

O restaurante Tasca da Esquina do chefe Vitor Sobral é bom. Bebemos cerveja, um vinho caro e um barato que corresponderam inteiramente ao esperado – a cerveja era fresca o vinho caro era bom e o barato também - o que revela cuidados na garrafeira.

Provámos camarão com um molho de manteiga, bacalhau à Braz, farinheira com qualquer coisa, pica-pau e um folhado de pão que não sei bem o que levava. Para a sobremesa escolheu-se farófias e leite-creme. Estava tudo capaz de surpreender, quer pela simplicidade quer pelos estalinhos na boca.

Supera a honestidade que já se esperava, há inovação e rigor no serviço. É bom, vale a pena e não é caro para o que é.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Warhol dixit:

Sou profundamente superficial.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Tintim no Congo - o regresso.

Outra das coisas fascinantes neste livro é a violência que o protagonista exerce sobre os animais do país.

Esta brutalidade espelha a diferença de atitude social e hábitos vigentes na década de 30 do século passado. Podemos sublinhar a crueldade mas também se deve ter em conta a negligência que o autor assumiu desde cedo na criação desta segunda aventura do jornalista da poupa loura.

Se os defensores invertebrados dos animais se lembram de pegar nisto, o livro será comido vivo.

Exemplos já a seguir.



Tintim e os Totós.

O segundo capítulo de As aventuras de Tintim do belga Georges Rémi Hergé tem, nos últimos tempos, vindo a ser novamente fustigado com acusações de racismo. A primeira edição foi em 1930 e em 1946 Hergé redesenhou todo o livro onde substituiu alguns dos quadradinhos mais polémicos já na altura.

Durante a sua carreira assumiu que a história foi criada quando vivia imbuído de um espírito burguês, numa sociedade preconceituosa e com ideais paternalistas em relação aquela que era na altura uma colónia belga.

Em 2007 a Comissão Britânica para a Igualdade das Raças pediu a proibição de novas publicações do livro acusando-o de defender e fomentar propósitos racistas. Outras vozes já exigiram a introdução de um prefácio onde deverá ser explicado o contexto temporal da obra juntamente com uma nota de desaconselho.

Na minha opinião, o livro e o próprio Hergé, (tal como todas as criações humanas), não podem ser postos em causa por comportamentos e hábitos que, como se sabe, mudam conforme a maré dos tempos (mas este será um tema a que voltarei muito em breve).

Aqui estão algumas imagens que, quanto a mim, fomentam as razões acima descritas.





quinta-feira, 12 de maio de 2011

Ilustração.




























Daqui

Aos olhos de Juan Rulfo.





















Além de ser um notável escritor, Juan Rulfo dedicou-se também à fotografia. Em 2010 foi lançado o livro 100 fotografias de Juan Rulfo pela editora mexicana Editorial RM.

Este livro é o resultado de 10 anos de pesquisa do curador inglês Andrew Dempsey e do historiador italiano Daniele De Luigi e dará origem a uma exposição onde se poderão ver os retratos do México pelos olhos do escritor.

Foi impresso em Hong Kong pela gráfica japonesa Toppan Printing Company e é a obra de referência da fotografia de Rulfo.

Juan Rulfo é um dos maiores escritores mexicanos de sempre. Considerado o grande precursor do realismo fantástico, é referência obrigatória para escritores como Gabriel García Márques ou Jorge Luís Borges, segundo os próprios.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Enjoo gourmet.

Agora tudo é gourmet, das lojas com tabuinhas às batatas fritas de pacote dourado e tinta de choco, tudo entra nesta falta de categoria.

A ideia de um marketeer usar a expressão dá-lhe aromas de estupidez requintada.

George Mulhauser ou Cherner?


As cá de casa não têm grandes dúvidas.

terça-feira, 10 de maio de 2011

George Mulhauser, o homem da cadeira.
























Designer de peças para a empresa Plycraft de Paul Goldman. A cadeira Cherner (na fotografia a versão com braços), atribuída ao designer Normam Cherner é uma das peças de mobiliário mais famosas e controversas que envolvem o nome de Mulhauser. Há quem diga que foi este quem de facto a desenhou mas a Cherner Company, empresa que a produz e comercializa actualmente, garante que foi do lápis de Normam Cherner que nasceu.

Eu tenho 6 destas cadeiras em casa, algumas ainda com a etiqueta original da década de 60, onde se pode ler o nome George Mulhauser como autor (se me lembrar, amanhã ponho aqui uma fotografia).

A verdade anda por aí e, como toda a gente sabe, bastam dois whiskies para a mudar.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Eça dixit: O melhor espetáculo para o homem será sempre o próprio homem.

O BES tem um spot de rádio onde anuncia uma conta bancária eco-friendly, sem emissões de CO2.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Faster, Pussycat! Kill! Kill!




























Daqui

Outras catástrofes.

O Wilhelm Gustloff no Porto de Hamburgo


















O Wilhelm Gustloff foi um navio civil alemão lançado à água em 1937 e afundado em 1945 por um submarino soviético. Em 1939, logo após o início da II Guerra Mundial,  foi requisitado pela Kriegsmarine (a marinha de guerra alemã) para servir como navio hospital.

Na sua última viagem - Operation Hannibal, onde foram evacuados refugiados e militares alemães em fuga das tropas russas, embarcaram cerca de 10.600 passageiros e tripulantes. Após ser torpedeado 3 vezes afundou-se. No mar Báltico morreram cerca de 9600 pessoas entre elas 4000 crianças e adolescentes. Para se ter uma ideia da catástrofe basta dizer que no desastre do Titanic perderam-se 1523 vidas.

Este é o maior naufrágio de sempre.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

A importância das palavras.

Fotografia: Nomad adventure - Noel, Reka and Maggie in Africa
















Na Libéria, o Scrabble é quase um desporto nacional, sendo praticado em clubes e cafés por pessoas de todas as idades. Este é o Alpha Haitai Social and Athletic Club na capital Monróvia.